Home Seções Entrevistas Tratador de Piscina Antonio – São Paulo SP
Entrevistas - 7 de outubro de 2023

Tratador de Piscina Antonio – São Paulo SP

Antonio 11 9499 35923 @antoniokairopiscinas São Paulo SP

1- O que levou a entrar na profissão de tratador de piscina? Conte um pouco de sua história.
Resp: Deixa eu me apresentar. Meu nome é Antônio kairo dos Santos Rodrigues, sou natural do Ceará, e moro em São Paulo. O que fez eu entrar na profissão de piscineiro, foi que por acaso na época eu trabalhava na sociedade Hípica Paulista, e mandaram o auxiliar do piscineiro embora aí me chamaram para cobrir a vaga, não sabia nada de piscinas e fato curioso que o piscineiro não me explicou nada e tive que buscar informações, foi quando conheci os cursos da hth me abriu a mente e o horizonte, é, aprendi e gostei e estou até hoje. Há meu início foi em 2005.

2- Costuma participar de algum curso, live etc.
Resp: Sim costumo assistir no Instagram, vejo vídeos e já fui duas vezes na Expolazer, feira de outras áreas como da construção civil e tudo que tem a ver no segmento de piscinas.
3- Vinil, fibra ou alvenaria, existe diferença no tratamento? nos explique?
Resp: As piscinas de fibra e vinil tem um cuidado especial, pois qualquer erro pode danificar, manchar ou até mesmo rasgar, no caso do vinil que tem também o fato não fazer superlotação por exemplo mais o resto dos cuidado de parâmetros químicos são iguais em todas as piscinas.

4- Quais as marcas de produtos que mais costuma utilizar? E quando surge um produto novo, costuma experimentar?
Resp: hoje uso muito a Atcllor, hidroall, mais também gosto muito dos produtos Hidroazul,

5- Conte algum caso interessante que já encontrou?
Resp: já encontrei rato, sarué, na piscina isso em questão de animais mortos na piscina. Mais tem o fato de muitos engenheiros não se preocupar com sala de máquinas, fazem com espaço minúsculo e o piscineiro tem que se vira pra fazer manobra.

6- Tem piscinas que trata com tratador de UV, Ozônio ou mesmo gerador de cloro? Caso positivo nos conte.
Resp: Tem duas piscinas de uso coletivo, uma é só gerador de cloro e minha primeira experiência com esse tratamento já tinha outras que tinha uv e ozônio.

7- De seu recado, suas observações finais
Resp: Para mim ser piscineiro foi uma das melhores coisas que poderia acontecer comigo, é uma profissão que tenho prazer e gosto, pois sempre falo quem quer ser um bom profissional, tem que primeiro gostar do que faz, o lado financeiro vem com a consciência de ser bom no que faz, é isso. Quero agradecer pela oportunidade de me expressar e falar um pouco dessa profissão que muito promissora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Tratador de Piscina Moisés Cuiabá MT

1- O que levou a entrar na profissão de tratador de piscina? Conte um pouco de sua históri…