Home Seções Marketing / Comunicação / Vendas Chuvas, Tempestades e Piscina

Chuvas, Tempestades e Piscina

Rogério Fonseca Alves Diretor POOLPARTS www.poolparts.com.br

Neste período do ano a ocorrência de chuvas aumentam e muitas vezes elas vêm em forma de tempestades carregadas de raios
e trovões. Vamos ver nesse artigo, que a relação das chuvas, tempestades e os raios com a piscina é em primeiro lugar uma questão de segurança para seus usuários.
Quem já ouviu a mãe, a avó ou mesmo o guarda vidas do clube, falar: Saiam, saiam!!! Vai começar a chover! Pois é, chuva e piscina não combinam.
O Brasil é o país com maior incidência de raios em todo o planeta. No ano passado, em 2023, o Brasil registrou quase 209 milhões de raios, e a cada 50 mortes causadas por raios no mundo, uma é no Brasil. Esses dados são do INPE (Instituto
Nacional de Pesquisas Espaciais). Dados levantados pelo INPE,
revelam que entre 2013 e 2023 morreram no Brasil 835 pessoas. E destaca os três estados com maior incidência de raios, sendo eles: Amazonas, em primeiro lugar, Pará em segundo e São Paulo em terceiro.
Para se ter uma ideia, um raio possui cerca de mil vezes mais intensidade que um chuveiro elétrico.
O risco para nossa segurança não é só em piscinas, neste início do ano de 2024 uma senhora foi atingida por um raio enquanto estava em uma praia do litoral paulista, infelizmente ela não resistiu e foi a óbito.
As orientações de segurança são simples e devem ser seguidas sempre. Por exemplo, se a pessoa estiver em piscinas, praias ou campo de futebol ela deve sair imediatamente e procurar um abrigo seguro, nunca debaixo de uma árvore, antena ou caixa d’água, devem se afastar de estruturas que sejam altas e isoladas. Pode se abrigar dentro do carro, com os vidros fechados e sempre afastado da lataria do veículo. Dentro das residências se afaste de tomadas elétricas e de redes de telefonia. E se não encontrar nenhum lugar deite-se no chão. Como vimos, com raios não se brinca! Mas os danos causados por eles não são só para as pessoas, os equipamentos elétricos eletrônicos da casa e da piscina também podem sofrer danos. Para protegermos os equipamentos é fundamental uma instalação elétrica feita de acordo com as normas. No caso da piscina, é muito importante que o quadro elétrico de comando que aciona as motobombas do filtro, aquecimento, hidromassagem, cascata e os demais equipamentos como aquecedores, iluminação e outros tenham dispositivos de proteção.
Os principais dispositivos de proteção são: aterramento adequado, o uso de DPS (dispositivo de proteção de surtos) que é um equipamento que é instalado no quadro elétrico, ligado entre fases e o aterramento e tem a função de proteger a instalação na ocorrência de surtos causados pelas descargas atmosféricas, os raios.
Muitas vezes, a instalação elétrica da residência está correta, mas a instalação elétrica da casa de máquinas não. E aqui, novamente, fazemos o alerta para a correta contratação dos prestadores de serviços. Busque sempre profissionais habilitados e capacitados, busque referência e sempre tenha em mente que o barato pode sair caro não só em termos financeiros.
Espero que as águas de março
fechando o verão, da música de Tom Jobim tragam somente a parte boa para nosso clima e não os acidentes relatados acima.

Lembre-se: Segurança em primeiro lugar, piscina segura, diversão garantida!

Grande abraço,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Tratador de Piscina Moisés Cuiabá MT

1- O que levou a entrar na profissão de tratador de piscina? Conte um pouco de sua históri…